Notícias e recursos

O desafio eBirder de setembro

A Common Buzzard (Steppe) migrating through Kuwait. Photo by Omar Alshaheen/Macaulay Library

Este mês, o desafio eBirder do mês  patrocinado pela Carl Zeiss Carl Zeiss Sports Optics, vai contribuir para treinar as suas capacidades visuais e auditivas. Uma vez que em setembro mudamos de estação, a movimentação das diferentes espécies marca o início daquela que pode ser considerada o melhor período do ano para um observador de aves: a época de migração. Quer esteja a desfrutar do outono setentrional, ou da primavera austral, há muita coisa a acontecer! O fervilhar da migração pode resultar em movimentos dispersivos de dezenas de quilómetros, ou em viagens hercúleas que levam aves limícolas do Ártico até ao limite dos continentes do hemisfério Sul. O mais impressionante de tudo isto é que pode testemunhá-lo, onde quer que esteja. O eBirder do mês será escolhido de entre aqueles que submeterem 15 ou mais listas elegíveis em setembro contendo pelo menos um código “Flyover”. As listas devem ser relativas a observações realizadas este mês, não sendo consideradas listas históricas introduzidas em setembro.  Os vencedores serão notificados até dia 10 de outubro.

Por vezes, poderá sentir vontade de deslocar-se para uma das melhores zonas de observação da migração: Tadoussac, QuebecEilat, Israel; Veracruz, MexicoDongyin, Taiwan; Whitefish Point, Michgan ou Sagres; ou qualquer outra península ou zona de concentração de migradores famosa. Não se preocupe, porque não é necessário: a migração está por todo o lado! Apesar da migração ser normalmente mais evidente nestas zonas, muitas espécies movem-se em frentes largas por todos os continentes e os observadores podem desempenhar um importante papel na documentação deste fascinante ciclo fenológico, apenas introduzindo os seus dados no eBird. Este mês encorajamo-lo a procurar sinais de migração nos seus locais favoritos de observação de aves, registando todas as aves em voo alto como “Flyovers” (Não nidificante) em cada lista que submeter. Estas tanto poderão ser passeriformes em passagem, sem utilizar o habitat, como rapinas a apanharem térmicas para partirem em direção desconhecida. Nem todos os indivíduos em passagem serão migradores, mas qualquer ave que passar em voo alto, sem utilizar o habitat onde se encontrar, deverá ser registada com o código “Flyover” (Não nidificante). descubra mais acerca do código Flyover aqui.

Em setembro, as limícolas estão a movimentar-se por todo o mundo e se prestar atenção ao que lpassa no céu, logo pela manhã, pode muitas vezes resultar em observações de espécies fora do normal, em zonas afastadas do seu habitat habitual. Maçarico-de-bico-direito por Christoph Moning/Macaulay Library.

Durante os seus momentos de observação de aves este mês, muitas das aves que verá e ouvirá serão residentes locais, pelo que registará estes indivíduos na lista como normalmente faria. Contudo, certamente detectará algumas aves em voo alto, talvez andorinhas, rapinas ou aves aquáticas. Deverá registar estes indivíduos como “em passagem” usando o código de reprodução “0. Não nidificante” (ou em inglês “F-Flyover”) que é disponibilizado se utilizar o botão “Adicionar detalhes” junto ao campo de espécies no processo de inserção de dados na sua lista, utilizando depois a lista do menu para “Código reprodutor”. Registar as aves em passagem desta forma ajudará depois quem analisar os dados a distinguir aves que estão na verdade a utilizar o habitat em causa, das que apenas estão em passagem durante a migração ou em movimentos de dispersão local. Boa sorte e desfrute da magia da migração, onde quer que se encontre!

Carl Zeiss Sports Optics é líder do mercado de material óptico desportivo e é o patrocinador óptico oficial do eBird “A Carl Zeiss está profundamente convencida que ao associar-se com o Cornell Lab poderá providenciar-lhe um importante suporte para que consiga levar a cabo ao seu trabalho de investigação, conservação e educação em todo o mundo.”, disse Mike Jensen, Presidente da Carl Zeiss Sports Optics Norte Americana. “O Cornell Lab está a fazer a diferença para aves e nós estamos profundamente empenhados em promover a observação de aves e o trabalho do laboratório, pelo que existe uma excelente colaboração. O eBird é um portal verdadeiramente único e agregador de sinergias entre o laboratório e os observadores de aves, como tal acolhemos com carinho a oportunidade de apoiar ambos.”.

Descubra mais em: eBirder of the Month

Nota de editor: O desafio eBird deste mês assenta na utilização de um código reprodutor inglês “F-Flyover”, cuja tradução para português não é literal. O código equivalente em português é “0. Não nidificante”.